quinta-feira, 29 de maio de 2014

Isto é um post para Gajas (do estilo workshop)!

(Autor : Lecomte)
Não há amantes perfeitos, somos nós mulheres que construímos "O" amante perfeito, cada mulher que passa deixa um pouco de si-mesma, um pouco de nós. Devemos ensinar-lhes tudo...e particularmente, deixá-los pensar o contrário.

A vida é como é e por vezes, é deslumbramento...

O olhar cobre-se com um véu, a audição fica selectiva, vemos e ouvimos somente o que satisfaz as nossas expectativas conscientes ou inconscientes, vemos no outro aquilo que projectamos sobre ele, minimizamos os seus defeitos, modificamos as nossas atitudes e comportamento, não hesitamos em enganar os nossos gostos para agradar ao outro. Este é o tempo das mentiras e ninguém escapa...
A palavra "idealizar" é ainda muito branda para expressar esse deslumbramento, é na verdade um sonho, sonho esse que realiza um desejo, e nesse sonho, o outro atende às nossas esperanças, desejos e necessidades.
O deslumbramento é um estado alucinatório que nos convida a desligarmo-nos temporariamente do peso da realidade....É um autêntico estado alterado da consciência, cujo gesto mais inócuo se torna numa magnífica postura.
Enquanto vivemos sem o outro durante décadas, em poucas horas ou dias, ele torna-se essencial para nós. E para prolongar o sonho, qualquer constatação susceptível de pôr em causa a perfeição do outro, é logo reprimida, qualquer opinião é conotada como calúnia ou inveja...


"O amor começa pelo deslumbramento de uma alma que não esperava nada e encerra na decepção de um ego que exige tudo"





quarta-feira, 28 de maio de 2014

Homenagem a todas as pilas intumescidas que por aí vejo!

" O homem é o único animal inteligente, o suficiente para ser totalmente idiota " 


...as vezes gostava de saber o que passa pela cabeça desses homens, que colocam como foto de perfil, as suas partes íntimas, no mínimo "inchadas", dentro de umas cuecas ou boxers (ou até mesmo sem nada), quase sempre do mais foleiro que há! A sério, interrogo-me...o que lhes passará pela cabeça naquele espaço de tempo, naqueles escassos segundos em que carregam na tecla "upload" ? Uma espécie de curto-circuito entre o hemisfério esquerdo e o direito que lhes proporciona a sensação de ideia luminosa...fazendo jus àquela velha ideia que o sexo dos homens é independente, tem a sua própria vida, é autónomo e pensa pela sua própria cabeça! O seu alter-ego, o seu mini-eu "entufado" toma o controle dos movimentos e pensa presentear-nos com essas manifestações de virilidade, para a posteridade, não vá a "malta" desacredita-los!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Perversidades...

(Autor : Alexandre de Venderts)
Atreva-se,
Levante este último bastião
Arrede a renda preta
Percorra o seio no seu todo

Atreva-se,
Titile o precioso botão
Desenhe do dedo o lindo arabesco
Endureça o delicado mamilo

Atreva-se,
Apalpe o desejo
Despolpe com os lábios o fruto
Saliente a prova do prazer ....

Atreva-se!






sexta-feira, 23 de maio de 2014

Paradoxo de Gajas modernas!

Sinto-me orgulhosa por ver até que ponto a mulher do século XXI considera-se emancipada e já não se encontra nesse estado de sujeição, uma condição de quase submissão imposta pela sociedade, que beneficiava (indecorosamente) os respectivos esposos ou companheiros.
Lá se foi o tempo em que as esposas tinham como principal função numa relação, a de dona de casa, hoje em dia, libertas de qualquer obrigação doméstica, as mulheres são prioritariamente companheiras, amigas e parceiras sexuais (para os mais sortudos), em casos extremos até são as que trazem o sustento à casa! Portanto todos os caprichos que os respectivos companheiros possam solicitar no que diz respeito às lidas da casa, como dobrar meias em bola, está fora de questão...pois claro, convenhamos que os caprichos são realmente absurdos, afinal o que interessa ser assim ou assado, que se dêem por feliz nos tempos que correm, com essas emancipações todas, encontrar meias ainda lavadas e à mão, de preferência num local que não nos dê muito trabalho a armazenar! 
Pensar em grande e chegar à conclusão que "cada tolo com a sua mania", afinal não deveria ser muito pior que ter de lhes lamber os tintins aos sábados de manhã, porque os sábados de manhã são como toda a gente sabe, o dia das extravagâncias conjugais, o casal liberta-se não só dessas obrigações domésticas mas também, dá asas ao seu estatuto de parceiro sexual! 
Se o gajo tem a infelicidade de ficar de cama (digo gajo porque a emancipação da mulher também permite-nos tratar com desdém tudo aquilo que nos remete ao nosso insignificante papel de dona de casa) as mulheres emancipadas consideram que só têm que lhes colocar à disposição na mesinha de cabeceira, a medicação adequada para a sua maleita, já ter que lhe confeccionar um jantarzinho mais vitaminado ou mesmo um chazinho que o ajude a curar a sua indisposição está fora de questão, e porquê? Porque toda a mulher emancipada tem mais que fazer do que perder tempo com essas tretas de "paparicar" o marido! Algo que vai de encontro à sua emancipação, isto quando diz respeito obviamente ao desempenhar uma tarefa doméstica...já quando se trata de ceder a um capricho sexual, como lamber os tintins, à forma como se veste ou pinta o cabelo, aos modos com que ele se dirige a ela, conseguem ser muito mais tolerantes e não lhes parece que possa ser uma afronta à sua condição de mulher, que tão penosamente conseguiu alcançar, isto porque enquadra-se na perfeição no papel que a sociedade definiu como sendo da esposa ou companheira! Portanto a sociedade é que sabe e a sociedade é que manda...
Já eu, não tenho nada contra lamber os tintins mas também não tenho nada contra dobrar as meias em bola! 

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Damn! I love this music...


A vida é como é...



" Tenho tanto medo de te perder que prefiro deixar-te..."

Mas então...

(Autor : Franck)





Só a falta é que legitima o desejo?

Livro de condolências

(Autor : Tallahassee)
Mas então agora, toda a gente escreve (ou espera) escrever um livro? Não seria mais judicioso tentar discernir o mecanismo da criação literária, e o papel do escritor antes de se lançarem na elaboração de uma "obra-prima"? 

Eu sei... desejar ser lido parece-me ser muito legítimo...

quarta-feira, 21 de maio de 2014

terça-feira, 20 de maio de 2014

Sabes, não sabes? É que se não sabes, estás fodido(a)!

A diferença entre ser-se grosseiro e vulgar? A vulgaridade é um estado de espírito e um comportamento ordinário, a grosseria consiste em ter gestos ou ditos menos corteses.
Claro que depois desta sucinta exposição, escolhe o teu campo e "grosseira" à vontade!

Sítio onde eu gostaria de estar...





segunda-feira, 19 de maio de 2014

(Autor : Guillaume B )
"A maioria dos homens é incapaz de formar uma opinião pessoal, mas o grupo social ao qual pertence fornece-lhas já prontas"


Nunca gostei de clãs e não é que aqui, também os há? 

Por falar de novo em Gajas e Gajos...

Um dos temas de conversa que mais me suscita escárnio, nas conversas de mesa de café, é o tema SEXO! Quando as pessoas, numa faixa etária entre os 30 e os 60, (antes, ainda falam com muitas reservas achando que ninguém os leva à sério, e acima disso, porque de facto já pouco falam em sexo, considerando que a malta focaliza-se mais no ar nostálgico com que falam do tema do que propriamente no conteúdo!) Portanto quando  resolvem falar de sexo com aquele ar de quem sabe tudo e falam com um à vontade de quem já fez de tudo, só demonstram que nada realidade, pouco ou nada sabem para além das suas limitações…será certamente o tema que mais ocasiona clichés acabadinhos de ler numa revista qualquer!
Então lá começam a falar de sexo, colocando os homens num saco e as mulheres no outro saco, equilibrando (ou não) a balança consoante o ego de cada um/a, imaginam situações de “abalos lascivos” relatados, como momentos passados, quando na verdade o que há de real nesses relatos são algumas cenas do último filme que viram refastelados no sofá, com o balde de pipocas como único companheiro de libidinagem!
A eloquência é uma característica que não é do domínio de todos porém não considero que seja um dom,  é um talento que se vai adquirindo com alguma agilidade, consoante a aprendizagem que vamos tendo ao longo da vida e uma certa propensão para o domínio da língua…já conseguir manter a coerência entre aquilo que se apregoa e as atitudes que se toma é, sem dúvida, um dádiva!

domingo, 18 de maio de 2014

Síncope

(Autor : Soar)
O mais difícil quando duas pessoas que se amam, se afastam, nem é tanto a saudade que assola, nem que aquele olhar até então de compreensão, não é mais que um olhar de reprovação, tão pouco será o distanciamento que os coloca numa posição de perfeitos estranhos, a cumplicidade que não é mais, também não é o vulgar motivo que os fez separar, aquele lugar-comum que origina sempre uma discussão, não será o orgulho ferido de ambos que teima em sobrepor-se à existência real do desejo, nem é tanto a melancólica lembrança de um estado de regozijo após cada encontro...é na verdade, não saber mais o que fazer com o carinho todo que emana das entranhas, para onde direccionar toda essa ternura que lhe é própria, o que fazer com aquele jeito de querer assim o outro, com esse desejo que persiste, amar?

sábado, 17 de maio de 2014

Meninas, há que escolher!

(Autor : Cartier Bresson)
Entre um homem apreciado por muitas mulheres, correndo o risco de nunca ficar tranquila ou, um homem que as mulheres não apreciam, com a certeza que nunca ficarão felizes...

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O que já aprendi em 4 meses de blogosfera!

Se é que se pode chamar de aprendizagem...até porque não irá mudar o meu "modus operandi", são :

- Usar termos como "gaspacho" ou "smoothie" em vez de puré de frutas ou sopa fria, "surto" do Master-Chef.
- Colocar fotos de paisagens que "desabrocham" da janela com o título " que vês da tua janela".
- Colocar fotos dos livros que estão na "table de chevet" (para os bregas, mesinha de cabeceira) , aqui é tudo gente muito erudita.
- Discretamente, fazer alusão a marcas conceituadas como referência de bom gosto e savoir-vivre, aqui não há gente pobre ou endividada.
- Falar de si na 3ª pessoa, o mesmo que nomear certas partes anatómicas com palavras fofinhas!
- Aqui, ninguém quer saber de quantos comentários ou visitas poderão gerar mas todos esperam fazer o Buzz um dia!
- Aqui, ninguém aspira a ser o BILF do ano (até porque pela escolha, muitas andam pelas ruas da amargura!) mas cá entre nós, é o sonho de muitos saberem que são a versão sexy do Morfeu!
- Aqui, os posts que originam mais visitantes são os que têm, por certo, mais comentários...Hum?
- Aqui, os posts que originam mais comentários são os mais sucintos...ou falam de sexo!
- Aqui, preocupam-se muito com os "anónimos", esquecendo-se a meu ver, que anónimos somos todos! A crer que uma foto e um nick, origina logo uma identidade...



Aaaaah já percebo esse silêncio matinal...e um vento, mas um vento!

terça-feira, 13 de maio de 2014

Aiii mas assim fico confusa!

Para amar convenientemente alguém nada melhor do que ganhar interesse por outro/a, isso quer dizer que é necessário amar muitas vezes para depreender que se ama uma única vez, ou porque na verdade, como dizia Nietzsche, amamos o desejo mais do que o objecto do nosso desejo? 

Não que interesse muito mas....

...há povo(inho) que não anda de carro, não! Andam a semear, bem devagarinho, alternando borda esquerda, borda direita, parando em cada leira (cruzamento, passadeira)!!!

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Ela

Nunca fora uma mulher de crenças fáceis, nunca acreditara em Deus, acreditava nela e nos outros, nos homens, alguns...e quiçá no diabo que trazia no corpo, quando acreditava nEle. Tivera sempre essa natureza amável e sorridente por acreditar que fora uma mulher amada. Sempre soubera que os actos é que credibilizavam as palavras, e para isso, esperava...com esperança que Ele fosse concretizar os seus anseios. Dizia-lhe sempre que o seu maior erro seria, de não acreditar nEle...mas com o passar do tempo, a demora, provara que fora um engano acreditar nas suas palavras.  

Inevitavelmente...

(Autor : Fabienne Cresens)
...O tempo passa, e a juventude foge para ser nada mais do que recordações. É nessa busca incessante da eterna juventude, que alguns acabam por cometer sempre os mesmos erros...

sábado, 10 de maio de 2014

Et le monde continue à tourner....

Acordei com o espírito a vaguear, passeei ociosamente pela casa levando comigo os devaneios e a minha saudade, a tua ausência acompanhou-me sempre de perto, como único diálogo o teu silêncio. Agarrei pelo caminho, as minhas carências, os meus desejos e dirigi-me à casa de banho como uma alma ávida de prazer. Aventurei os meus olhos sonolentos pelo espelho, as minhas mãos soltaram o cabelo emaranhado enquanto o olhar, esse, passeava pelas memórias, a minha língua humedeceu os meus lábios, diluindo na boca o teu sabor recordado...parei e assim do nada, por tudo, de repente...o teu reflexo apareceu atrás de mim, num sorriso...um beijo na nuca, um sopro quente, uma delicadeza que traz consigo a embriaguez, a façanha da invisibilidade oferecendo mais do que esperança. Uma oportunidade, a de poder provar a tua pele, despertar nos teus braços, gozar no teu fervor...
Com alegria, eu acreditei. Levei-te comigo até gemer! Quando de um gesto desajeitado, querendo segurar na rigidez da tua virilidade, honra-la, aboca-la e com minha devoção incorpora-la, omitindo a minha solidão...agarro a mangueira do chuveiro e recebo um jacto de água gelada...

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Lá para os lados do Face...

Mas...mas...os defuntos têm acesso ao facebook e ninguém me avisou?

Ah Leão! E não...não falo de futebol mas ando lá perto!

"Os homens convenceram-se de que, por natureza, são infiéis. Porque foram concebidos para cobrir todas as fêmeas do planeta. Vontade não lhes falta; o problema é não contarem com a colaboração das ditas, para além da falta de tempo e de paciência para seduzir as que, de certezinha, se deixariam levar."

Ora vamos lá sacudir o pó dos ditados populares...

Diz-me com quem fodes e dir-te-ei quem és, ok...ok...o ditado popular não é bem assim mas achei que em pleno século XXI, numa era em que andamos todos muito descomplexados, e com os costumes ligeiramente alterados, faz muito mais sentido trocar o verbo "andar" pelo verbo "foder"! Pasme-se quem achar que o termo é brejeiro, fui verificar e consta no dicionário!
Dizia eu, que hoje em dia, não faria muito sentido sabermos quem "temos" se analisarmos com quem essa pessoa anda, porque as pessoas, basicamente, andam com toda gente, dão-se bem com toda gente e mesmo em não se dando, fazem de conta, hoje em dia, andamos com os colegas de trabalho ou no mínimo levamos com eles nas festas da empresa ou almoços na cantina, andamos com as mães dos amiguinhos dos nossos filhos, nas reuniões de escola, nas festas da escola e até mesmo, à porta da escola, aquilo parece por vezes o "chá das 5h", andamos com o Joaquim, o Manel e o Alberto que são o ponta de lança, o guarda-redes e o defesa central da equipa de futsal que resolvemos criar às quintas, andamos com a vizinha do 6º esquerdo porque estamos inscritas na mesma aula de pilates e, parecendo que não, dá mesmo jeito aproveitar a boleia ao mesmo tempo que levamos com o relatório das traquinices da Maria e do Gonçalo, andamos (e neste caso andamos mesmo) com a Dª Joaquina nas caminhadas diárias que o seu cardiologista lhe recomendou! Portanto, como podem constatar, andamos com toda gente! Frequentamos toda gente e damo-nos todos bem para o bem de uma vida social harmoniosa e frutífera.
Já foder, não será tão evidente assim, enquanto que a maioria dir-vos-á que é selectiva, todos sabemos que na prática, esse conceito de selectividade varia muito consoante o grau de oportunidade ou seja, a lei da oferta e da procura, e por isso conseguimos tirar certos traços de personalidade quando conseguimos verdadeiramente saber com quem tendem a "estender-se ao comprido". O número, o género e o tipo definem a pessoa. Eu por exemplo, se sei que o "Pedro" numa noite de farra, envolveu-se sexualmente com a "Suzana", mulher de afectos fáceis, com uma dentição que mais parece a cratera do vulcão da Ilha do Pico e um aroma a estrugido de arroz pilafe, por mais giro, charmoso e inteligente que fosse o "Pedro" saberia logo...logo...quem é afinal, o Pedro!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Enquanto se vê e se fala de futebol lá "fora"...

Porquê que uma mulher, quando apaixonada, ganha essa leveza no corpo, esse porte altivo, um perfil que aponta para a linha do horizonte, esses ombros rectos, essa constância na voz e audácia nas palavras e...esse serpentear da anca? Porquê? 

Jet-lag!

(É mais ou menos isso...)

Hilariante!

"Os que têm uma fé excessiva nas suas ideias não estão bem equipados para fazer descobertas"



terça-feira, 6 de maio de 2014

Ele

(Autor : Lisa Dupont)
A sua benevolência e polidez no trato eram inversamente proporcionais aos seus sentimentos. Sempre fora um homem educado, cortês, como fazia questão de sublinhar e por isso, considerara que as suas amabilidades dissimulariam a sua indiferença. Uma espécie de charme que perduraria para sempre, uma forma simplista de ser apreciado por todos. As conversas de circunstância, outrora conversas intensas e estimulantes, realçavam o seu distanciamento...

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Damn! I love this music...


Estou "Bué" ocupada!

Sabem aquelas pessoas que passam a vida a correr, atarefadas, sempre cheias de coisas para fazer, com uma agenda preenchida ao minuto, em que cada passo dado está escrito a giz, no quadro de ardósia da cozinha? Olhamos para elas e vemos essa incansável energia, olhamos para elas e vemos que têm tempo para tudo, a família, o trabalho, os amigos, a jardinagem, o voluntariado e até, para uma hora de drenagem linfática....ou se calhar não têm tempo para nada, porque de tanto desmantelar-se por todo o lado, nunca se entregam por inteiro, convenientemente, rasam as emoções, afloram a dedicação. Depois, olhamos de perto, e essa azáfama não é mais que a consequência de uma total desorganização, são os lápis de cor arrumados numa caixa de bolachas que obriga a abrir todas caixas, são as luvas esquecidas nos bolsos daquele velho sobretudo que quando, desce de novo a temperatura, obriga à compra dumas novas, é a papelada espalhada pelas gavetas de tudo o que é armário, que obriga a iniciar um rally-paper pela casa sempre que precisamos da última declaração de IRS, é uma panóplia de frascos de gel de banho ou de champô na sua maioria vazios, que obriga a perder mais 10mns no banho à procura do frasco que lhes valha, é percorrer a cidade de lés à lés porque são incapazes de seguir um plano de entrega coerente e organizado! Por isso sempre achei que uma coisa é ser-se rápido e outra ter pressa...

sábado, 3 de maio de 2014